sexta-feira, 18 de abril de 2008



PARTIDA


A lâmina brilha...

o pulso roxo

o olhar estilhaçado

o vermelho brindando

pelo corpo,

e s c o r r e n d o

o medo não mais existe

só o silêncio lateja.

8 comentários:

CeciLia disse...

O silêncio
brinda vermelhos
latejantes
pelas bordas
do corpo.
Vão.

Beijo, querida. Obrigada por mais este poema forte.

Cynthia Lopes disse...

Versos fortes e líricos.
No final silêncio!
Mas há muita vida quando expressamos a morte e espero, que a vida sempre prevalesça. Bjs

Esfinge_Enfadonha disse...

Saudações Mara,
Hoje não resisti ao impulso de visitar teu blog e gozar de boa leitura. Teus poemas cada vez mais refinados sempre me atraem.

Bjos da Esfinge

Computador disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Computador, I hope you enjoy. The address is http://computador-brasil.blogspot.com. A hug.

marcia cardeal disse...

Gosto muito da força que lateja por baixo das palavras. Muito. bj

Lecy Pereira disse...

A partida soa como semeadura de vida rubra.Pulsante...

Suzana Mafra disse...

Per Tempus

linkado no Borboletras

Abraço

Rodolfo disse...

o silêncio é só

lindo, tudo aqui.