sexta-feira, 26 de dezembro de 2008



POEMA



Meu poema está por um fio
cambaleante
velho como o mundo
com a alma perdida
procurando pai e mãe
rosas e pitangas
mar e amores
um motivo
um estilete
meu passado
teu presente



meu poema está por um fio
escorregando pela folha branca
viscoso e triste
como larva em agonia.

15 comentários:

Dona Sra. Urtigão disse...

Muito ...poema !
daqueles que revolvem nossa "estabilidade"

Karen Aguitoni disse...

Que lindo seu poema...
amei
beijos

JC disse...

O teu poema não é triste bem pelo contrário, é bonito, ilustrado por uma bela foto.
Quando escrevemos e quando não são textos técnicos passamos para o papel aquilo que nos vai na alma.
Este teu poema é simples mas realista.
Gostei muito.
Beijinhos

Cynthia Lopes disse...

Lindo teu poema por um fio...
só nos mostra o teu talento em versos e conteúdo. Um gde bj e minhas saudades...

A Moni. disse...

Poema, feito vida, feito alma, em busca sempre...
E dizem que é só o começo...
Haverá um fim???

Pego carona com o poema. Acho a melhor opção...

Beijos!

nina rizzi disse...

o seu poema é "uma coisa", querida. amei :)

f@ disse...

FELIZ ANO NOVO…
Beijinho infinito das nuvens

Rubens da Cunha disse...

triste e lindo como todo grande poema.
abraços

A Moni. disse...

Vim procurar algo novo, mas na verdade há!
Já é 2009...
Feliz Ano Novo!!!

Graça Pires disse...

Pela folha branca... O poema virá.
Beijos.

ลndreia disse...

Que simbiose perfeita entre palavras e imagens... *

Juan disse...

Seu poema se entrega à divagação sem se perder e faz muito sentido para mim, além de ser lindo!

*Obrigado e seja-bem vinda ;)
Abraço!

Renato de Mattos Motta disse...

teu poema está por um fio
mas de seda forte
delicada
e se é larva viscosa
se alimenta de rosas
e de pitangas
só pra preparar
agônica metamorfose
e despertar
psiquê
de asas coloridas

Aroeira disse...

esta última estrofe é muito forte.

Espelho disse...

Tal como eu que caminho por um caminho rumo ao encontro do desconhecido.

Beijo